Os dentes são extraídos por vários motivos:
 
- Uma cárie muito profunda no dente;
- Uma infecção que destruiu uma grande porção do dente ou do osso adjacente;
- Não existe espaço suficiente para todos os dentes em sua boca.
 
Muitos dentistas recomendam a extração de dentes inclusos que nasceram apenas parcialmente. As bactérias podem se instalar em volta de um dente que nasceu parcialmente, causando uma infecção, a qual pode se estender para o osso adjacente e tornar-se um problema ainda mais sério. Os dentes inclusos continuam tentando atravessar o tecido da gengiva mesmo quando não há espaço suficiente para acomodá-los. A constante pressão causada por esta tentativa de erupção pode acabar afetando as raízes dos dentes vizinhos. Remover um dente incluso pode evitar uma infecção, danos aos dentes e osso adjacentes, além de evitar um sofrimento futuro.
 
Como são extraídos os dentes?
 
Antes de extrair um dente, seu dentista fará uma revisão completa no seu histórico médico e dentário e providenciará as radiografias necessárias.
 
As radiografias revelam o comprimento, formato e posição do dente e osso adjacente. Com base nessas informações, seu dentista poderá avaliar o grau de dificuldade do procedimento e decidir se deverá encaminhá-lo para um especialista, no caso, um cirurgião-dentista.
 
Antes da extração, a área em volta do dente será anestesiada. Os dentistas utilizam um anestésico local para amortecer a área da boca onde a extração ocorrerá.
 
Na extração simples, uma vez que a área é anestesiada, o dente é descolado do osso com um tipo de alavanca, e então extraído com um fórceps dentário. Seu dentista também poderá suavizar e remodelar o osso que sustenta o dente. Terminada esta etapa, ele poderá optar por fechar a área com alguns pontos cirúrgicos.
 
EXTRAÇÃO DO TERCEIRO MOLAR
 
Os terceiros molares conhecidos como “dentes do siso”, normalmente erupcionam entre os 16 e 25 anos de idade, ou seja, são os últimos a aparecerem na boca. Um terceiro molar erupcionado parcialmente pode provocar gengivites (inflamação da gengiva), abscessos, irritação local, dor, edema e até mesmo o aparecimento da cárie dental, já que a higienização se torna difícil na região. Quando o terceiro molar fica totalmente incluso (dentro do osso), pode produzir reabsorção do dente vizinho, transtornos dolorosos e até degenerações (lesões císticas).
 
A extração do terceiro molar está indicada quando ele está mal posicionado, não há espaço suficiente na arcada, nos quadros de dor ou quando a erupção não se completa. Para que a cirurgia tenha um pós-operatório tranquilo e sem grandes desconfortos, existem medicamentos que são prescritos antes e após a cirurgia.

 

 
 
Sem título-1
 
voltar